Sobre a “Tabela de Freela” e o podcast

Nesta semana a internet foi tomada de assalto por uma “panelinha de jovens designers querendo acabar com a ‘velhacaria’ do mercado”.

Meninos entusiasmados, de boa formação, de boa índole, mas totalmente inexperientes e ávidos pela popularidade instantânea, ditaram regras e instauraram o caos entre estudantes, formandos e profissionais das mais diversas áreas da comunicação no Brasil.

Protagonizaram fiasco após fiasco, defendendo uma causa morta, uma “Tabela referencial de Freelas”, um estudo acadêmico que teve o poder de dividir as pessoas ligadas ao design, ilustração e áreas correlatas, como “nunca antes, na História deste país”.

A única coisa sensata a se fazer, seria tirar a tabela do ar, reconhecer e admitir que erraram feio, mas para isto são necessárias inteligência (psicológica e emocional), hombridade, caráter e principalmente maturidade, mas nada disto parece estar disponível entre os adoradores da tabela.

Restou a arrogância, a soberba, o pedantismo e a falácia do apelo à autoridade de doutorandos e doutorados que pensam e agem como se não tivessem atingido a maioridade civil.

Não vou recontar aqui o evento que dominou as timelines de todos por uma semana inteira, mas quero deixar disponível o video em que eu me posiciono a respeito dos fatos, para facilitar o acesso no futuro.

Se há alguma coisa útil a ser peneirada entre tanta troca de farpas, provocações e uma discórdia generalizada, é o fato que muitas pessoas se mobilizaram, e de alguma forma se uniram, contra ou a favor da tal tabela, separando adultos de crianças.

Talvez tenha sido necessário tomar esta bofetada de garotos imberbes para acordar de uma letargia que mantinha todos em uma zona de conforto, ainda que este “conforto” esteja entre grandes aspas.

O tapa na cara foi tão bem dado, tão estalado e insultoso, ditando ordens e regulando preços dos outros, que eu resolvi tomar uma atitude.

Gravei dois videos, onde assumo um compromisso publicamente, de comparecer às faculdades, cursos livres e escolas de arte para dedicar 4 horas do meu tempo, pessoalmente, apresentando uma palestra de composição de valores, licenciamento de imagens, direitos autorais, contratos, etc, gratuitamente.

Se há algum “corporativismo” neste mercado, é exatamente no sentido oposto que os garotos desinformados afirmam, com uma arrogância nauseante.

Se alguma coisa boa, útil e aplicável não surgir deste desastre, podemos realmente desistir, não apenas do design, da ilustração e criação áudio-visual, mas do futuro como um todo.

No meu segundo video, a maior parte é uma resposta às provocações infantis de um podcast vexaminoso, que nunca deveria ter ido ao ar.

Eu sei que 36 minutos foi um exagero, mas há algo que eu realmente gostaria que todos ouvissem, mas que talvez tenha se perdido no meio de tanta coisa.

Sugiro que corte direto para o ponto principal, a mensagem importante deste video está nos últimos minutos.

Por favor, assista ao que eu gostaria de dizer a cada novato, a cada formando e a cada profissional, a partir dos 31:00, clicando nesta imagem:

E obrigado pelo seu tempo, eu sei o quanto ele é precioso.

Espero merecer os minutos que você vai gastar assistindo a estes videos.

Abraços, e sucesso para quem busca o sucesso.

E para quem gosta de tabelas, segue a minha própria Tabela Periódica dos Elementos, em sua versão “referencial para estudantes e formandos”.

Vai por mim, ela é confiável, e foi o resultado de anos e anos de pesquisa.

Esta tabela vai revolucionar a comunidade científica, da mesma forma que a outra revolucionou o mundo do design.

3 Comments

  1. Frank
    Posted 27 de abril de 2013 at 2:00 | Permalink

    É tão triste que chega a ser cômico, como uma tabela dessa passa por uma banca? Não me admira muito daqui algum tempo lançarem um guia com preços exorbitantes porém no qual os próprios profissionais pagam para realizar o serviços.

    Montalvo, aplaudi de pé seus vídeos e só tenho a agradecer por estar se fazendo firme e forte, contribuindo tanto para classe dos profissionais quanto para o próprio mercado.

    Mais uma vez meus sinceros agradecimentos e um grande abraço.

  2. João Carlos
    Posted 26 de maio de 2013 at 19:55 | Permalink

    Caro Montalvo,
    Muito bom seu posicionamento sobre o famigerado caso da tabela.
    Só tenho uma sugestão a dar, porque ao invés de ir a faculdades dar palestras gratuitas sobre composição de valores, licenciamento de imagens, direitos autorais, contratos, etc, vc não grava uma série de pequenos vídeos e disponibiliza em seu site?
    Creio que assim vc atingirá um público maior e mais interessado. Inclusive eu.
    Abraços e sucesso!!!

  3. Jonathan
    Posted 22 de julho de 2013 at 23:57 | Permalink

    Parabéns pelo vídeo! falou tudo e mais um pouco, abraço e sucesso.

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

*
*